Thursday, January 31, 2008

Fail



Digite Fail no Google images e tenha o search mais engraçado q vc já viu. Ninguem sabe pq aparece tanta imagem.

Wednesday, January 30, 2008

Olhar estrangeiro




Sidney Pink é americano e vive há alguns anos no Japão. Diz que observar uma cultura totalmente estranha o fez evoluir como artista plástico. Olha atentamente as colegiais japonesas no metrô e o jeito como apoiam as mãos nas pernas. E coloca essas meninas de saia e meia ao lado de um astronauta retrô sci-fi americano em suas obras. Interessante o poder do olhar estrangeiro na criação e na eterna busca pela originalidade. Já pensei em me hospedar em um hotel em algum canto distante de São Paulo e fingir que era turista. Acordar, olhar o mapa e sair andando e fotografando e fazendo compras na região do hotel. Ficar olhando atentamente as moedas de real para não errar na hora de pagar, como se fosse uma unidade monetária exótica…

U_MAG JAN 08

como sempre, vale a pena conferir o trabalho de direção de arte do romeuuu
ele também fez a cobertura do spfw para o novo site do evento, com fotos roubadas da passagem de vivienne westwood pelos corredores da bienal. parabéns romeuuu.

A-Z























O trabalho é do Tom Gauld, que faz parte da heart, uma agência inglesa de ilustradores.

Tuesday, January 29, 2008

Grandes Bosta & o humor local

O humor é uma forma de arte que envolve sensações tão primais, tão básicas, que no campo sensorial provavelmente só perde para a pornografia.
Um paralelo como esse pode ajudar a explicar o porquê do humor, sobretudo por essas terras, ser considerado uma forma de arte menor, ou pior; sequer ser considerado arte.

Mas ser subestimado e ter seu título renegado não é privilégio apenas do humor.
Como "moda" pode ser arte? Como aquilo que todos nós fazemos todos os dias antes de sair de casa pode ser considerado um meio de manifestação artística? Assim como no humor, esta visão se dá por basicamente dois fatores: imersão e não-desenvolvimento.

1. Por imersão quero dizer que: se é uma coisa que você vê todo dia, faz todo dia, usa todo dia, isso não pode ser arte. Arte é aquela coisa séria e distante que custa caro, não se entende picas e que apenas os gênios, malucos e os veados fazem. E veado é o teu pai.

2. Por não-desenvolvimento quero dizer que: se não há uma busca para um resultado específico naquilo que você faz, dificilmente você conseguirá enxergar arte ali. E quem é que pode culpar um povo por não exergar arte no humor e na moda quando o vestuário existe apenas por conta de uma cara convenção social e o humor é utilizado como um alento, uma forma mais fácil de encarar a vida?

A identidade do humor brasileiro está no deboche, na dor. Está nas raízes etimológicas da palavra “comédia”. Mas não há arte onde não existe desenvolvimento artístico. O humor britânico, por exemplo, diferentemente do humor brasileiro que é usado como um substituto natural e gratuito à morfina, é usado pelos ingleses há séculos como uma forma de esgrima social. Os ingleses estão sempre aperfeiçoando suas técnicas, testando novos movimentos, afiando seus floretes verbais, enquanto que aqui é a situação que determina a existência e o teor da piada.
A intenção e a busca pelo desenvolvimento, seja do que for, faz com que este seja-o-que-for nasça em você sob forma de arte. É quando ela deixa de ser alegoria da mensagem para ser sua estrutura. Mas este é apenas o processo que deve existir no receptor, para o artísta é ainda necessário repertório, engenhosidade e principalmente talento para expressar o seu discurso.

Quando se percebe isso fica claro que não é possível fazer humor “tailor made”, coisa que infelizmente vem há tempos acontecendo em nosso cenário local impedindo a sua evolução. Salvo raríssimas exceções, tudo o que temos são comédias tolas, programas de auditório jurássicos, sitcoms baratos, escritos por redatores que acreditam terem encontrado a fórmula mágica perene da estrutura humorística e encenada por atores que tem ainda menos carisma do que cromossomos. Todos eles insultando a inteligência de seus espectadores ao passo em que perpetuam uma herança maldita naquilo que deveria de fato ser uma especie de patrimônio nacional.

Com o tempo o melhor do humor foi sendo jogado às formas menores e mais segmentadas de mídia, tanto que antes da chegada da internet o que havia de melhor no humor estava nas rádios. Com o início dos blogs esta lacuna começou a ser preenchida aos poucos por alguns bloggers bastante talentosos, gente que não ganhava nada escrevendo o que escreviam, e que estavam lá apenas dando vasão a seus sentimentos e criações. A interatividade do meio ajudou na formação de um público cativo que conseguia se organizar entre si, e desde que o humor nacional estava oficialmente morto com o declínio d’O Pasquim e o cancelamento da TV Pirata em 92 (que já agonizava a partir de 90), não era de se estranhar que o humor dessa geração fosse uma verdadeira antropofagia daquilo que lhes serviu de refugio em tempos de crise: Simpsons, Monty Python, Seinfeld, Mel Brooks, Irmãos Marx, Douglas Adams, Terry Pratchett, etc.

Hoje, com as atenções todas voltadas à internet, ensaia-se um movimento reverso do conteúdo. Assim como aconteceu com a música recentemente, onde as bandas popularmente demandadas começaram a saltar das mp3 para o main stage, estamos vendo lentamente este pessoal ganhando forma nos meios mais tradicionais e por consequencia chegando ao grande público.

Aqui em São Paulo um grupo de amigos com base na internet, tomou forma “física” e começam a apresentar seus sketches em teatros e TV sob a alcunha de Olaria Grandes Bosta, onde escrevem, dirigem e atuam. Uma genial fusão do humor anárquico estrangeiro com o espírito das nacionalíssimas trupes mambembes daqui. Uma galera com bastante personalidade, cheia de boas referências, ótimo repertório, humor engenhoso e deliciosamente pretencioso. E, ainda que seja evidente as suas influências, eles fazem um humor definitivamente brasileiro. E é necessário muito talento para isto também.

Fiquem de olho neles. É verdade que a cena não está totalmente fortalecida, mas este pode ser o começo de uma maravilhosa revolução cultural. No final das contas, como sempre, quem vai dar o aval para esta mudança é o público.
Mas hoje eu acordei com esperanças. O período cretáceo tarda, mas eventualmente chega.

Rumo à extinção dos dinossauros!

--

Ah, e entrada do site da OGB é à la Kessels Kramer; cada refresh uma coisa diferente.

Monday, January 28, 2008

Do's and Don'ts with babies

Friday, January 25, 2008

Capas histéricas

Um cidadão acordou um dia e resolveu sair por aí caçando capas de paperbacks antigos da Penguin e da Pelican. Tudo o que ele encontra ele junta neste set de seu flickr.



Muito bom.
Há um certo carinho especial pela arte das décadas de 50 e 60; Op art, contrastes alucinanados, minimalismo, geometria. Como não amar essa histeria visual?

Adendo: Este mesmo usuário possui outras coisas bem bacanas em outros de seus álbuns. Aconselho em especial verem o set "Atari Game Manuals".

Thursday, January 24, 2008

Surrealismo fantástico.

Estomago. Have a nice trip.

Sound Asleep














Taí: pra quem divide a cama com pessoas de diferentes gostos musicais e tem medo de ser estrangulado pelo fone de ouvido.
Via: lovecreative

Wednesday, January 23, 2008

Apple = Braun anos 60?














































Para aqueles que gostam de discutir quem copiou quem aí vai.
O site Gizmodo.com constata um fato interessante: os produtos lançados pela Apple recentemente são parecidos aos lançados pela marca Braun nos anos 60.

Caro Mercado Livre

Caro Mercado Livre,

Sou um grande admiradora do serviço por vocês prestado, que me permite comprar com economia e confiança todo tipo de produto, de uísques a eletrônicos, todos vindos do Paraná. Resolvi que estava na hora de dar o próximo passo no aproveitamento de seu valioso serviço e vender, eu também, algum produto em seu site. Em particular, eu gostaria de leiloar minha alma.

Lendo o regulamento do seu site com atenção, não encontrei nada que proibisse, explicitamente, a negociação de almas; entretanto, um item no regulamento deixava claro que é contra a política do site a venda de partes do corpo. E é justo aí que reside a minha dúvida.

O site mercadolivre.com.br considera que a alma é uma parte do corpo, ou um processo que emerge de interações químicas e fisiológicas do corpo e que é portanto indissociável deste, não sendo portanto vendável segundo o regulamento; ou é a opinião do site que a alma é uma entidade metafísica que transcende a matéria, tendo portanto uma existência independente do corpo e de tudo aquilo que é físico - embora esteja ligada, de alguma maneira, aos fenômenos corporais - e que portanto sua negociação seria aceitável no âmbito das normas do site? Gostaria de saber, também, se poderia usar do serviço mercadopago, que só libera o pagamento depois que o produto foi recebido, e se nesse caso seria preciso emitir nota fiscal.

Atenciosamente,

Ana Clau

Tuesday, January 22, 2008

Vivienne Westwood by Luigi

Nosso amigo Luigi, do Aboutfashion, entrevistou ninguém menos que Vivienne Westwood para o portal do SPFW ( que acabou de ser relançado, e está fantástico, não deixe de visitar).
O texto é ótimo, sobretudo onde ela fala do seu manifesto contra a propaganda e publicidade. Para nós que trabalhamos com comunicação, é bom refletir sobre uma crítica tão pertinente, vinda de uma pessoa tão genial. Enjoy.

"Considerada pelo jornal WWD uma das mais importantes estilistas do século XX, Vivienne Westwood, que como você já sabe está no Brasil por conta do lançamento de seus sapatos na Melissa e de uma exposição aqui na Bienal, falou com o portal SPFW na manhã dessa sexta (18/01), sobre seu manifesto, moda e, como não podia faltar, até um pouqinho sobre o punk.

Para quem ainda não está sabendo, a grande Dama da Moda, mãe do Punk, escreveu ano passado um manifesto chamado "Active Resistance Against Propaganda". Lá Vivienne discorre sobre como atualmente tudo é tão superficial e pasteurizado. "Se você pegar vários jornais políticos, todas as notícias e informações que você encontrar vão ser muito rasas". Ela é daquelas que preza pelo aprofundamento das informações, por algo que nos falta pensar. "Por isso prefiro livros. Através das palavras de uma pessoa é possível entender o pensamento humano e ter maior acesso e conhecimento da própria natureza humana".

O consumismo exagerado e a "distração ininterrupta" (considerado por ela o principal mal da propaganda) também são outros pontos fortemente criticados por ela, que ajudam a deixar todo mundo sem opinião própria.

O único antídoto para tudo isso é a cultura. E em seu manifesto Vivienne sai em busca da arte, pois é só com arte que se pode entender a cultura. E é com cultura que poderemos entender nosso mundo, a natureza humana e sair deste círculo auto-destrutivo que vivemos em nome do progresso. Isso porque "a cultura ajuda você a ter um ponto de vista diferente, faz você pensar quando se depara com algo realmente bom, faz você ter opinião própria e um ponto de vista política único."

Toda sua vida e carreira foi marcada por posturas rebeldes, anti-conformismo e luta para quebrar os padrões do "establishment". Já em finais da década de 70, foi ela, junto com seu então parceiro Malcon McLaren que deu origem ao movimento punk, fazendo todas as roupas do Sex Pistols. Para ela as proporções que a cultura punk tomou foram tão grandes que até chegou a dizer que "nunca haverá outro movimento tão forte como o punk. Ele foi essencial e muito bom para lutar e questionar o establishment".

Porém com o passar do tempo Vivienne percebeu que não há como lutar contra o establishment. "Toda forma de rebeldia agora é assimilada por ele e transformada em estratégia de marketing. Hoje o importante é ter uma visão política, um ponto de vista diferenciado e saber ser racional."

A moda para ela sempre foi uma forma de expressar sua opinião, um modo de mostrar em imagens o que pensa, o que acredita. Olhar para rua, para o que está acontecendo no mundo, sempre foi uma das características mais marcantes do trabalho de Westwood. Muitas vezes, ou melhor, quase sempre, a estilista olha para o passado, para retratar de forma moderna, questões mais do que atuais e conflitos sociais correntes.

Vivienne acredita que a moda "é um excelente meio para ilustrar o pensamento e a personalidade de uma pessoa". Para ela quanto mais forte a roupa, mais forte a expressão e personalidade da pessoa que a veste. E suas roupas traduzem bem isso. Muito mais do que mera tendência, suas roupas carregam suas idéias, seus ideais. É como vestir seu manifesto.

Como ela mesma diz suas roupas "são heróicas, dão a chance para a pessoa se expressar". São atemporais, não precisam ser trocadas a cada estação, podem (e devem) durar para sempre, já que dizem algo a respeito de quem as veste. Para ela, repetir roupa não é crime fashion, bem pelo contrário, dá status a quem usa, ajuda a marcar a personalidade.

E Vivienne acredita que isso possa acontecer com qualquer peça de roupa. "Lógico que um par de jeans já não tem a mesma força de expressão que teve anos atrás. Mas se alguém sair na rua e vestir um saco de lixo ou qualquer coisa pensada para dizer ou expressar algo, já é uma forma de cultura". E justamente por isso que Vivienne acredita que moda pode, sim, ser considerada uma forma de arte. Arte aplicada, já que precisa de alguém para vesti-la. E arte no sentido que pode fazer pensar, fazer nos sentir mais humano e expressar um ponto de vista próprio. "Sua roupa tem que falar."

Por Luigi Torre

AG na VogueRG



























Fotos da AG na VogueRG durante o SPFW.

Hans Brinker sustentável


















Nova campanha da Kessels Kramer para o budget hotel mais cool do universo. Aquela direção de arte que vi na longínqua primeira Archive que comprei na vida - e que usava só duas cores - era mais bacana, mas o Hans Brinker chegou ao século 21 e está preocupado também com o aquecimento global, ursos polares e aquela coisa toda. E falando em Kessels Kramer, fazia tempo que eu não clicava no site deles. Vale a viagem. Cada refresh uma nova surpresa.

acabou o inverno


hoje foi o último dia do spfw. mais um exemplo do brasil que dá certo. desta vez, eu não consegui ver o desfile do ronaldo fraga, que é sempre o meu preferido, mas tive a sorte de ver o desfile do estilista e foi lindo. no meio do parque do ibirapuera, frio, chuviscando, e passando toda a quadrilha de são joão, chiquérrima, brasileira e, por isso mesmo, internacional. quem ficou curioso, pode ver tudinho no novo site do spfw, na tv ou no arquivo de fotos, o site está bárbaro.

Saturday, January 19, 2008

SPFW



















Anúncio para o novo site do SPFW.

Friday, January 18, 2008

Nova pesquisa sobre blogs

Elaborada pela Brodeur, unidade do grupo Omnicom, a pesquisa diz que:

* Blogs são uma fonte de informação regular para jornalistas: Mais que 3/4 dos jornalistas acreditam que os blogs são úteis para gerar idéias de matérias e buscar ângulos diferentes de um mesmo tema.
* Quase 70% dos jornalistas visitam uma lista de blogs frequentemente.
* A maioria dos jornalistas disseram que os blogs geram um impacto significativo na maioria das áreas do Jornalismo, excepto na qualidade jornalística.

Não dá mais para ignorar o poder das mídias sociais. Os blogs se tornaram uma ferramenta de comunicação poderosa e que conquistou a confiança de muitos. O interessante nesta pesquisa foi saber que os jornalistas estão de olho nos blogs atrás de inspiração.

via marketing de guerrilha

Very good

Thursday, January 17, 2008

Leia meu pensamento



Desde dezembro que os roteiristas americanos estão em greve. Será que não podemos furar a greve, escrever daqui e mandar para lá? Mais um produto de exportação do B dos BRICs. Tipo álcool, havaianas e Rodrigo Santoro.

Wednesday, January 16, 2008

Balls?

Foto do dia do jornal Telegraph:




"A policeman wades through thousands of coloured balls at the foot of Rome's famous Spanish Steps"

Monday, January 14, 2008

Nosso agradecimento à GVT

Novo Anúncio no Meio & Mensagem



Thursday, January 10, 2008

CAMPANHA SPFW








Acabamos de lançar mais uma campanha para o SPFW. Os anúncios aparecerão sempre em sequenciais de três páginas duplas nas principais revistas e jornais do país.

Banha de peixe-boi

Como o post abaixo falava de crenças sobre produtos exóticos. Este é um deles, a Banha de Peixe-Boi. No produto há uma explicação que diz que ela cura de machucados até desemprego. Vale a pena.
Para encontrar é só ir até as proximidades do Largo da Batata, que lá existirão algumas barraquinhas que vendem o milagroso produto.

Bugroon























Este remédio do tipo cem-por-cento-natural-que-emagrece que-é-uma-beleza-ó, design estiloso e aviso para quem comprar por engano (é para emagrecer, não engordar, tolinho) faz um sucesso danado entre as pessoas de olhos castanhos.
Com essa embalagem convincente e apenas coisas levianas como efeitos adversos (inchaços nas juntas e tal) quase dá pra entender o porquê.

Ah, mas antes de tomar, é bom pensar sobre a ressalva que o rapaz do link fez aos aventureiros (a segunda resposta, me desanimou um pouco).

Wednesday, January 09, 2008

Ouça mais Wagner



Wagner, o fantástico guia do Terraço Itália, dá uma aula de genialidade.

overreaction














não sei quanto a vocês, mas hoje comprei um picolé de morango da kibon e ganhei a promoção do ipod no palito. ah! podem deixar comments do tipo quem ipod pod ou ela ta ipodendo, não vou ligar. estou de bom humor.

Cliff Young e o teorema de Báskara.



Todo ano acontece na Australia uma ultra-maratona entre Sidney e Melbourne, considerada a mais dificil ultra-maratona do mundo, com 875km de extensão. Em 1983 demoravam cerca de 5 dias pra finalizar a prova, e só atletas profissionais patrocinados por grandes marcas tinham coragem de participar.

Na edição de 1983, um cara chamado Cliff Young apareceu na largada da prova, ninguem deu importancia no começo por pensar que ele estava ali pra ver o evento, até que ele colocou o numero sobre a camisa de flanela e seguiu até a linha de largada de galochas. Foi quando todos perceberam que aquele senhor de 61 anos iria realmente participar da corrida, disputando ela com atletas internacionais com metade da idade dele. A emissora local ficou curiosa com o fato e na largada fez algumas perguntas:

-"Quem é você e o que faz?"

-"Eu sou Cliff Young e sou de uma fazenda onde corremos atras de ovelhas, perto de Melboune."

-"Você vai participar dessa corrida?"

-"Sim"

-"Você tem apoio pra corrida?"

-"Não"

-"Entao vai ser dificil você conseguir correr"

-"Veja bem, nasci em um sitio onde nao tinhamos dinheiros pra ter cavalos ou carros, e eu corria atras de ovelhas desde pequeno. Entao anos atras conseguimos juntar um dinheiro e compramos uma fazenda grande, com 2000 ovelhas, mas mesmo já tendo carros e cavalos, quando se aproximava uma tempestade era eu que tinha que ir atras delas, e isso podia durar 2, 3 dias pra eu conseguir. É por isso que eu acho que consigo, são só 2 dias a mais de corrida. 5 dias. Eu corria 3 na fazenda."

Quando a maratona começou, todos deixaram Cliff pra tras, e quem assistia pela televisão torcia pra que alguem parasse quele senhor banguelo, ele poderia morrer durante a prova. Nem correr corretamente ele corria, corria como se estivesse machucado, desengonçado.

Qualquer profissional sabia que demoravam 5 dias pra terminar a corrida, e que pra isso era necessario correr 18 horas e dormir 6. Esqueceram de avisar isso a Cliff.

Quando amanheceu, as pessoas não só ficaram surpresas de Cliff ainda estar correndo, como também de saber que ele correu a noite inteira. Mesmo continuando bem atras dos profissionais ele continuava correndo sem dormir. Cada noite ele se aproximava mais do pelotão da frente, até que na ultima passou todos e ganhou a corrida. Não só ganhou a corrida como bateu em 9 horas o recorde anterior.

Ele finalizou a corrida em 5 dias, 14 horas e 4 minutos e quando lhe deram o prêmio de U$10.000 ele disse que nao sabia que haveria um prêmio, e, que como nao correu por dinheiro, distribuiu toda a quantia entre os outros corredores, sem ficar com um centavo.

Hoje em dia, o jeito desengonçado que ele correu a maratona é usado por varios atletas, por ser mais aerodinâmico e gastar menos energia.

Ninguem mais dorme durante a ultra-maratona Sidney-Melbourne, se você quiser ganhar ela hoje, tem que correr como Cliff correu em 83.

Como só ontem eu vim saber dessa história? Que tirem o teorema de Baskara das escolas e ensinem a historia do Cliff pros moleques!

Tuesday, January 08, 2008

enquanto Zago não vem

Monday, January 07, 2008

Cara de vinyl














Virou febre: você também pode ser uma estrela do rock. Mais sleeve heads aqui.

Déboulonneurs

Esse grupo de manifestantes anda fazendo barulho na França. Eles são contra qualquer forma de publicidade no meio exterior. O mais interessante é que, através dosite, eles avisam quando e onde vão fazer o próximo protesto. Um prato cheio para a polícia francesa, já eles sempre saem destruindo tudo que é propaganda que vêem pela frente.



Friday, January 04, 2008

Ettore Sottsass












Ettore Sottsass, a eminência parda do design post moderno, faleceu aos 90 anos.
Foi fundador do influente grupo de Memphis, e criador da famosa máquina de escrever vermelha da Olivetti, entre tantos outros clássicos.
A curadora de arquitetura e design do Museum of Modern Art , Paola Antonelli diz: "Ele era realmente um gigante do design. Tinha a capacidade de sentir os tempos em que vivia e de mudar com eles". Recentemente ele viveu um comeback com a exposição dedicada ao seu trabalho no Design Museum de Londres, chamada "work in progress".
Hail the master.

keep the monkeys away from my hands


um homem com mãos de banana.

A Telona Cresce

O Cinema teve desempenho excepcional em 2007 proporcionado não apenas pela expansão de complexos, mas evidenciado pela maior procura dos anunciantes e por oferecer flexibilidade em projetos. Na consulta aos três grandes comercializadores e responsáveis por mais de 90% do bolo desse meio, tivemos o seguinte crescimento por empresa: Kinomaxx (24%); Rain (40%) e Circuito Digital (40%).

Wednesday, January 02, 2008

Órgão do Mar























Na costa de Zadar, uma cidade da Croácia,encontramos o Órgão do Mar, degraus cravados em rochas que têm em seu interior um interessante sistema de tubulações que, quando empurradas pelos movimentos do mar, forçam o ar e dependendo do tamanho e velocidade da onda, criam notas musicais, sons aleatórios. Criado em 2005 e ganhador do prêmio europeu para espaços públicos (European Prize for Urban Public Space), o Órgão do Mar recebe turistas de várias partes do mundo que vêm escutar uma música original que traz muita paz. O lugar também é conhecido por oferecer um belo pôr-do-sol,o que agrada ainda mais as pessoas que visitam a localidade. Zadar é uma bela cidade litorânea da Croácia e foi duramente castigada durante a 2º Guerra Mundial. A criação do Órgão é também uma iniciativa para devolver um pouco do que o lugar perdeu com tanta destruição e sofrimento. Veja a estrutura interna das 'escadas'. O detalhamento das cordas e notas musicais que somadas a energia das ondas criam sons. As lacunas no concreto servem para o Órgão 'respirar'e também para levar os sons criados nas tubulações. Ouça aqui.
.